Notícias em primeira mão para você no nosso blog

“Cultura organizacional”: você sabe o que é, ou só acha que sabe?

15/01/2019
“Cultura organizacional”: você sabe o que é, ou só acha que sabe?<

Cultura Organizacional são os valores e costumes compartilhados por TODOS da empresa, igualitariamente – sem hierarquia – independente do cargo ou tempo de casa.

Sabendo disso e analisando seu ambiente de trabalho, você pode dizer que há uma Cultura Organizacional vigente?

Com esse texto, quero te ajudar a responder às seguintes perguntas: Estabelecer uma Cultura Organizacional é realmente importante? Quais ganhos a empresa tem com isso? Como crio a Cultura Organizacional da minha empresa?

Um pouco de história

O famoso teórico e escritor estadunidense Edgar Schein foi o responsável por definir o conceito de Cultura Organizacional da forma mais pura e prática possível. Ele a dividiu em em três pontos chave:

  • Artefatos: Tudo que é visível, material e representa a cultura, como papéis de parede com frases inspiradoras, quadros com certificações pendurados na parede, vestuário utilizado pelos membros que formam a equipe, e até a própria marca.
  • Valores e Crenças: São os objetivos e metas compartilhados por todos os membros que formam a organização, é a definição do “porque” estão trabalhando e onde pretendem chegar.
  • Suposições básicas: é a visão individual que cada membro cria a respeito da cultura, e acredita que seja a real.

Schein acredita que a cultura precisa estar presente em tudo que se refere a organização, desde o tapete da recepção até a imagem transmitida pelas mídias sociais da empresa.

Estabelecer uma Cultura Organizacional é realmente importante?

Respondendo a sua pergunta, é, e muito. A cultura organizacional, não existe apenas para que sua empresa se diferencie no mercado (o que já seria um ótimo motivo), ela deve existir para que seus funcionários se sintam acolhidos e enxerguem o propósito por trás da atividade que exercem. Apenas após determiná-la, é possível enxergar se todo o grupo está na mesma sintonia e se algum se destoa do restante da equipe.

A cultura também é formada pelas regras da empresa, e através dela a equipe consegue entender o porquê cada procedimento é feito de tal forma. É através dela que as perguntas são respondidas. Porque sempre atendemos o telefone com “um bom dia, boa tarde e boa noite”? Porque queremos que nossos clientes nos reconheçam como uma empresa solícita e pronta a ajudá-los.

Quais ganhos a empresa tem com isso?

Como dito acima, empresas com cultura definida se tornam “únicas” em alguns aspectos, e por isso, conseguem se diferenciar no mercado. Quando a cultura é definida corretamente, ajuda na atração do público-alvo, gerando reconhecimento por parte dos clientes que se identifiquem com suas crenças.

A cultura também é fator fundamental para fidelizar colaboradores. Antigamente, era comum que os funcionários se mantivessem nos empregos, mesmo estando infelizes, mas isso mudou. As pessoas necessitam de motivos para permanecer. Um propósito. Algo que as faça levantar da cama todas as manhãs e vestir a camisa da empresa. O propósito também deve estar nítido na estratégia da cultura.

A cultura ajuda a fidelizar os colaboradores com o perfil ideal e, também, faz com que os perfis que se destoem dela abandonem o barco. Contrato de trabalho é igual casamento, precisa ter paixão e tesão de ambas as partes, se falta isso, é preciso procurar em outro lugar ou em outra pessoa.

Como criar a Cultura Organizacional da sua empresa?

Tenho uma boa e uma má notícia pra você. A boa é que sua empresa já possui uma cultura, mesmo que você nunca tenha a definido. E a má notícia é que talvez não seja a imagem que você esperava passar.

A cultura é formada por crenças, hábitos e experiências de vida de todos que formam sua equipe. Quando as empresas entendem a importância disso, estabelecem esses valores mediante sua estratégia de mercado. Caso contrário, a cultura se molda de forma orgânica, sem controle, e sofre modificações sempre que um novo colaborador é contratado.

Ainda hoje, é muito comum que funcionários criem sua própria cultura sem perceber, e a perpetuem por anos.

Você chega em um escritório e percebe que todos os funcionários fazem um coffee break às 11:30h, e almoçam ao 12:00h, retomando às atividades apenas às 13:00h. Neste intervalo de uma hora e meia, o telefone toca diversas vezes e ninguém atende. Quando questionados do porquê interrompem as atividades tão próximo ao horário de almoço, respondem “ah, porque sempre foi assim.”

Alguém em algum momento começou um ritual e os demais o tomaram como uma regra, uma verdade absoluta.

A ausência de uma cultura estratégica, pode gerar prejuízo, causado pela improdutividade e desencantamento do grupo. Implantá-la não é tarefa fácil, na verdade, demanda tempo e reciclagens periódicas. Todo novo colaborador precisa receber uma enxurrada de informações sobre isso. Os antigos também precisam ser lembrados do porquê estão ali sempre que possível.

A Diretoria precisa descentralizar as decisões e dar ao departamento de RH a autonomia. O RH precisa melhorar as variáveis do ambiente organizacional e desenvolver lideranças. Os gestores precisam fazer uma gestão focada em desempenho e autodesenvolvimento de cada colaborador. Encontros com a equipe e treinamentos precisam se tornar praxe, dentro de cada realidade.

Por que o recrutamento e seleção é importante para a cultura

A atração de bons talentos é essencial para o sucesso da sua empresa. Em dado momento o crescimento será substancial e será viável que se tenham canais externos de recrutamento de pessoas. Mas, investir em R&S sem se considerar a estratégia e a cultura é loucura.

Para que a cultura se perpetue ano após ano, o recrutamento e seleção também precisa ser estratégico. Precisa estabelecer a persona ideal para cada cargo e obter meios que os auxiliem a encontrá-la no mercado. O fator humano versus tecnologias fazem a total diferença. É importante realizar pesquisas de clima e utilizar sistemas que ajudem a filtrar o candidato ideal de forma mais dinâmica. Se você ainda não havia pensado em nada disso, fica o alerta.

Destine seus esforços a entender qual imagem sua marca PRECISA e DESEJA passar ao mercado. Afinal, o dinheirão que se investe em employer branding pode estar indo pelo ralo se os canais de recrutamento não estiverem alinhados à cultura e estratégica. Se você quer montar um time de alta performance e que se enquadre na cultura da sua empresa, podemos te ajudar. Clica aqui e conversa com a gente 🙂